quarta-feira, 11 de maio de 2011

Árvore menina

Naquele fim de tarde, iluminadas e lindas
estavam aquelas folhas cheias de vida!
No horizonte, o sol fazia sua breve e condenada despedida.
Da copa à base; da luz à sombra; do alívio ao sufoco... a ida e
[ a vinda...

Na tentativa de dificultar o complicado voltar,
os galhos tortuosos se confundiam na sombra, queriam recuar.
Mas estavam condenados! Não mais iluminados, seguiam sozinhos.
Queriam ficar, se estabilizar, suportar ninhos...

Muita força fazia o tronco afim de sustentar
toda aquela aparência. Árduo, era aguentar,
enquanto suas raízes buscavam desesperadamente

por algo que a fizesse respirar novamente!
Queria encontrar qualquer reminiscência,
mas difícil ficava; quando perdida, estava sua essência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário