quinta-feira, 22 de abril de 2010

where did you go?

Pode ser complexidade minha, mas tudo tende a se afastar de mim. E por mais que às vezes eu tente preservá-los, simplesmente se vão.
E aí a saudade aparece.
Mas aparece pra deixar tudo mais complicado?
... penso que há dois tipos de saudade. A saudade aceitável e a insuportável.

Aceitável quando você tem que aceitar a distância. Quando você sabe que não há nada que possa ser feito para ela deixar de existir. E aí eu digo que ela é aceitável porque você aproveita cada momento, cada hora, cada minuto, cada segundo. Qualquer tempo é muito, considerando que vocês vivem tão longe de si. Cada momento é mais valioso.
Mas a insuportável...
... quanta mudança, quanta consideração - quanta desconsideração -, quanta complicação, quanto arrependimento, quantos momentos deixados para trás, quantos momentos não vividos, quanta decepção, quanto desleixo, quantas lágrimas, quanta espera, quanta ansiedade, quanta negligência, quanta esperança, quantas palpitações, quanta dor... quanta saudade.

"Pela força da distância, você se ausentou. Pela força que há na saudade, voltarás."

2 comentários: