sábado, 17 de abril de 2010

over and over

Será que já tá na hora de começar mais um dia? Espero que não, mal dormi, nem sonhei. Mas se for, tenho que abrir meus olhos, lutar contra essa força que me faz querer ficar na cama pra sempre. Decidi. Não vou abrir meus olhos ainda, só vou ficar por 5 minutos pensando.
Pela minha percepção posso sentir que está escuro ainda, não sinto entrar nenhuma claridade por entre as brechas da persiana. Posso sentir também que minha irmã ainda não acordou, pois se já tivesse acordado teria desligado o ventilador. E eu ainda sinto o vento no meu rosto como se tivesse de braços abertos na frente de um navio.
Os pássaros estão começando a cantar. Aquele canto reconfortante que anuncia a vinda da manhã, criando aquela melodia delicada e harmônica. Eu acho uma bela maneira de começar o dia. Ouvindo os pássaros cantarem.
Tão sutil, tão firme, tão delicado, tão tranquilo, tão sereno, tão pacato, tão cronológico é o canto deles. Me espanta o quão bonito é.
Ah sim. Agora eu sinto o calor de alguns raios de sol enxeridos batendo contra minha coberta. Tá aí outra coisa que me impressiona. O sol.
Todo dia o sol se levanta, lá de bem longe, no horizonte, todo brilhante, esvoaçante, resplandecente. Como se todo dia ele tivesse que estar de bom humor - e incrivelmente ele está! -. Todo santo dia ele se levanta ao horizonte, com a responsabilidade de nos provir de um novo dia. E olha que ele nem reclama. Ele nem tem o direito de ficar de mau humor e simplesmente não aparecer para nós - por isso o admiro -.
Tudo bem que tem alguns dias que a gente consegue perceber que ele tá meio triste ou com preguiça - e nessas horas as nuvens são ótimas amigas, elas cobrem o céu todinho só pra que o sol nao precise ficar sorrindo para nós o dia todo -. E mesmo nesses dias, conseguimos sentir o calor exalado por ele. Talvez seja a forma dele nos dizer : "Calma, eu ainda estou aqui. Eu voltarei."
É bom saber disso as vezes. Que por mais que tudo indique que ele não tá ali, ele nos surpreende e demonstra que nunca vai nos deixar.
Todo mundo tem que descansar né, até o sol. E é nessa hora que aparecem as estrelas. Ah, as estrelas...
E de repente o vento parou e ouvi passos... tá na hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário